Depoimentos
Lívia Heinzmann
Lívia Heinzmann

No exame oral do concurso nacional da magistratura, Lívia Heinzmann (Porto Alegre/RS) envia inspirador e fundamental depoimento aos colegas do GEMT e declara: “(...) As discussões mais recentes do cenário jurídico estão todas contempladas nas rodadas semanais, com um aprofundamento que só vi aqui no grupo (aliás, pensem na diferença que faz ter mentes do Brasil inteiro colaborando com a atualização do conhecimento, em vez de cada um de nós tentar, isoladamente, manter-se a par da evolução do direito material e processual do trabalho!)”.


*Depoimento é verdadeira injeção de ânimo para os que seguem na luta, diz coordenador Davi Ribeiro.



Lívia escreveu:



Prezados Davi e colegas,



Considerando que o concurso nacional ainda está em curso, nem me ocorrera escrever um depoimento, mas lembrei de como foram importantes os tantos relatos que li ao longo desta jornada em direção ao sonho partilhado neste grupo, então, resolvi expor algumas impressões pessoais, mormente neste período de indefinições para quem permanece neste árduo caminho.



A primeira delas é que sim, as rodadas do GEMT são um recurso importantíssimo para o enfrentamento das provas escritas da magistratura do trabalho, porque nos fazem ganhar em qualidade e em método.



Em qualidade, porque as discussões mais recentes do cenário jurídico estão todas contempladas nas rodadas semanais, com um aprofundamento que só vi aqui no grupo (aliás, pensem na diferença que faz ter mentes do Brasil inteiro colaborando com a atualização do conhecimento, em vez de cada um de nós tentar, isoladamente, manter-se a par da evolução do direito material e processual do trabalho!).



E em método, porque a partir do debate amplo que aqui travamos, podemos desenvolver um padrão dialético de exposição do conteúdo nas provas. É dizer: não basta dar a resposta, é preciso demonstrar ao examinador que compreendemos, efetivamente, as nuances que estão em discussão em cada tema, e que, em face destas, chegamos à conclusão esposada na solução concretamente apresentada. Essa capacidade de ponderação, aprendi com o grupo, lendo as rodadas anteriores, respondendo eu própria àquelas de que participei, e absorvendo, pouco a pouco, o dito método socrático, algo que, infelizmente, não nos ensinaram nos bancos universitários, e que torna este grupo tão rico!



Para todos aqueles que se identificam com a carreira da magistratura trabalhista, desejo que não se deixem abalar pela conjuntura atual.



Contextos políticos vão e vêm, situações econômicas diversas se sucedem no tempo e o pêndulo das relações sociolaborais alterna-se de um extremo ao outro, sem que esta elevada função jamais tenha sido extinta ou perdido a sua relevância em nossa sociedade.



Para aqueles que realmente desejam, genuinamente, este ofício, rogo que não se deixem dissuadir pelos discursos dos "teóricos do apocalipse" de plantão!



Diante destes, relembro a todos que, mesmo frente a dificuldades orçamentárias e de outras naturezas, a magistratura do trabalho ainda é a maior, em âmbito federal, sob a ótica numérica, o que simboliza proporcionalmente muito mais oportunidades de aprovação.



Certamente esta carreira, que almejamos todos, demanda uma identificação substancial do futuro magistrado, dadas as exigências diferenciadas que contempla, mas, é, sem sombra de dúvida, uma carreira belíssima, com lugar para esse exato pensamento dialógico que temos cultivado aqui no grupo, o que a torna ainda mais instigante!



Sigamos em frente, com a certeza de que, com tenacidade, a aprovação não é questão de "se", mas, de "quando"! Releva apenas resistirmos, até que chegue a nossa vez, lembrando que "há tempo para todo propósito debaixo do céu"!



Um caloroso abraço a todos, no desejo de muito sucesso nesta caminhada,



Lívia Heinzmann

Copyright © 2006-2013 JEMPE. Todos os direitos reservados.
Projeto Gráfico: Claren Design